segunda-feira, 1 de agosto de 2016

CAÇADORAS DE AURORA BOREAL

EMPACOTADAS OU COM OS PRÓPRIOS PEZINHOS ???

Tá bom, admito que a primeira vez que passou pela minha cabeça que seria viável ver este fenômeno foi quando, nos idos de 2011, eu vi no Eu vou de Mochilauma entrevista com Daniel Japor, um carioca que levava grupos de brasileiros para o Ártico e foi consultor da equipe do programa Planeta Extremo quando foram filmar o fenômeno.

Segunda noite de caçada em Tromso  

Na Feira Escandinava, que acontece todos os anos aqui em São Paulo, conheci um fotógrafo, o curitibano Marco Brottoque também levava grupos para ver a aurora na Lapônia e Alasca. 


Terceira noite de caçada em Tromso 

Tudo começou quando a Nati (sempre ela...) chegou dizendo que o namorido não poderia viajar naquele ano e que era para gente (ou seja, sua mamãe aqui) programar  a ida para Noruega caçar a aurora. Eu logo de cara contatei as empresas citadas acima, pois apesar de já ter viajado por conta própria para a Escandinávia por duas vezes anteriormente, pensei: “Caçar aurora boreal definitivamente não é uma viagem fácil, principalmente pelo frio intenso e a logística das saídas para tentar vê-las”.


Caçando aurora pelas estradas da região de Tromso 

Minhas experiências nestes primeiros contatos foram diametralmente opostas:


Lyngen alpes-Tromso
Com a Geotripa empresa do Daniel Japor, foi péssima. Eles simplesmente não responderam por 1 mês nenhuma das tentativas de contato (e-mail, telefone celular e fixo). Quem me conhece sabe que sou insistente. Nos comentários de Facebook deles, vi que outras pessoas estavam com o mesmo problema e passei a responder aos comentários delas reclamando. Notei que a maioria era apagada e fiquei p@#$ da vida! Eles tinham tempo para apagar os comentários mas não para responder aos clientes? Escrevi um post gigantesco numa propaganda deles (que também foi apagado) falando principalmente que não se deixa o cliente sem resposta. Só então se dignaram a me responder dizendo que já estavam lotados para todas a saídas até Março de 2016 e que meu e-mail provavelmente havia ido para a caixa de spam (Será que os recados telefônicos também foram para o spam?). O fim da picada em profissionalismo...

Catedral do Ártico-Tromso
Já a Insight e o Marco Brotto foram muito atenciosos. A empresa, super profissional, respondeu meu primeiro contato em menos de 24hs em pleno feriado. Mesmo depois de ter desistido de ir nas datas que eles tinham disponíveis, me mandaram um link avisando quando a Tap fez uma promoção de passagens para a Europa. O Marco Brotto, que também é blogueio associado à RBBV (Rede Brasileira de Blogs de Viagem), respondeu todas as minhas dúvidas sobre caçar a aurora na lua cheia e se ofereceu para dar pitacos no meu roteiro. Não tenho como  recomendar além desse ponto porque não fiz a viagem com eles (as datas da minha filha não batiam com as deles), mas como primeiro atendimento, eles foram ótimos. 

Nota: O Marco Brotto nos informou que atualmente não tem mais nenhum vínculo com a Insight.

Quando estava procurando os links para este post, me deparei com um artigo na revista Galileufalando de uma briga velada entre os dois. Só vi agora, depois da viagem, mas achei interessante citar pois faz uma comparação interessante (incluindo roteiros e preços para 2016) dos dois maiores profissionais em caçadas à aurora boreal no Brasil.

Não conseguimos marcar com nenhum dos dois, mas há males que vem para bem. Botamos a mão na massa (e nos blogs de viagem) e bora lá programar a viagem com nossos próprios pezinhos. E (modéstia às favas) ficou ótima, além de ficar bem mais barata que os preços citados na revista Galileu. É logico que não colocamos na conta as nossas muitas e muitas horas de pesquisa, planejamento e reservas. Mas isso a gente ama fazer.

As Caçadoras de Aurora (Flora, Nati e Cintia) em Tromso


O ROTEIRO:

Como temos família em Portugal, fizemos paradas na ida e na volta em Lisboa para suavizar um pouco a longa viagem do Brasil até Tromso, na Noruega. Isto sempre rende passeios e convivências maravilhosas com meu irmão & companhia, mas contarei em outras oportunidades por aqui. O foco agora é só a Lapônia.

Dia 1 De Lisboa a Tromso

Viagem aérea para Tromso, com escala na capital Oslo. Tudo coberto de gelo (e nem tínhamos passado ainda do círculo polar ártico)


Dia 2Tromso

Conhecendo a linda cidade e... 
  

...curtindo a neve como crianças.



Fizemos nossa primeira caçada, curtimos a paisagem gelada e o céu estrelado, mas...


...ela não apareceu...


Dia 3 – Tromso

Esqui nórdico nos Alpes Lyngen (só as meninas, né? Eu fiquei descansando).


Estava sentadinha na van, me protegendo do frio, quando a Nati me chamou: "Corre mãe, mas cuidado para não escorregar na neve". ELA apareceu, primeiro tímida, só visível na máquina fotográfica. Depois foi crescendo, tomou todo céu e até dançou para gente.



Brotaram lágrimas nos olhos e uma emoção indescritível no coração. A primeira aurora a gente nunca esquece...



Dia 4 – Tromso

Passeio de barco pelos fiordes,...


...inebriadas pela paisagem tão incomum para a gente.



A noite partimos para mais uma caçada. A guia Mafi nos preveniu que dificilmente veríamos outra aurora como a da noite anterior. 


Mas ela estava errada. Na primeira parada para regulagem das máquinas fotográficas eis que ela surge intensa, por horas, uma das mais belas e coloridas que vimos.


Deitamos na neve e ficamos só  admirando as luzes que cobriam todo o céu.











Terminamos a noite ao redor de uma fogueira na neve, assando mashmellows. É muito bom voltar a ser criança...




Dia 5 – De Tromso a Abisko, na Suécia, de carro.

A linda estrada gelada contornando os fiordes.


Caçada à aurora puxada por snowmobile. Foi curta, mas intensa.


Dia 6 – Abisko

Passeio no Parque Nacional de Abisko. Tudo branquinho...


Eu de snowmobile (para poupar os joelhos),


 Snow shoe para as atletas.














A subida ao monte Nuolja, onde fica a Aurora Sky Station...

Foto de Cintia Cruz

...um jantar especial e...










... a aurora mais tranquila de se caçada.


Dia 7 – De volta a Tromso

Última trilha no Lago de Abisko congelado.










Uma passadinha na Catedral do Ártico e Tromso a seus pés iluminada.










Após o jantar de despedida a aurora veio (sem precisar ser caçada),  dar um tchauzinho pra gente na torre da igreja.











Dia 8 - De Tromso a Lisboa

Deixando o branco pra trás, e já querendo voltar... 



O TRANSPORTE:

Não existe voo direto do Brasil para a Escandinávia. É necessário voar até alguma cidade europeia, pegar um voo para Oslo e depois outro para Tromso. É bem cansativo e demorado. Como temos família em Portugal, optamos por parar por alguns dias tanto na ida como na volta.


Aproveitamos uma promoção da TAP e emitimos todos os trechos com ela, inclusive o  Oslo-Tromso-Oslo, operado pela SAS. Fizemos em duas emissões separadas, pois além de uma de nós usar milhas para o trecho transcontinental (São Paulo-Lisboa-São Paulo), ficou mais barato emitir o trecho interno na Europa (Lisboa-Oslo-Tromso-Oslo-Lisboa) separado. O único senão foi que a Tap não pode reservar lugares antecipados no voo da SAS, e quando fizemos check-in em Oslo não tinha mais lugar na janela. Fomos as três, uma em cada fileira, no assento do meio e perdemos a oportunidade de ver nossa primeira aurora. Havia lido relatos de lindas auroras vistas do avião.


Alugamos um carro com a Avis em Tromso para irmos até Abisko, com tudo a que tinhamos direito: pneus de neve, GPS e até possibilidade de resgate na neve se necessário (ainda bem que não foi).
Dirigir na neve nos preocupava bastante. Eu já havia feito isto no passado, mas as meninas não. Entretanto, as estradas da Escandinávia são ótimas, viajamos com cuidado, de dia e os pneus especiais seguraram bem alguns trechos completamente cobertos de neve na Suécia. Foi uma experiência tranquila e com paisagens lindas.
Não usamos o carro para caçar as auroras boreais. Além de acharmos perigoso saírmos sozinhas por estradinhas desertas e cheias de gelo à noite, não tínhamos o conhecimento necessário e as previsões dos especialistas para descobrir um lugar a céu aberto para conseguir vê-las.



Em viagens internacionais, sempre emitimos a PID (Permissão Internacional para Dirigir). É super fácil, no site do Detran você faz o pedido, paga a taxa nos bancos autorizados e chega pelo correio em uma semana. Desta vez ninguém nos parou, mas em outra viagem pela Itália, fomos parados e possuir a PID evitou problemas.

Existe um ônibus que faz o trajeto do aeroporto até o centro de Tromso. Mas como estávamos em três ficava mais barato ir de taxi do aeroporto ao hotel. Na volta devolvemos o carro alugado no aeroporto.


AS CAÇADAS À AURORA BOREAL:

A aurora boreal é um fenômeno natural esporádico, portando por mais que se faça tudo certinho (época certa, no lugar certo, escuridão, acompanhada de guias especialistas...) nunca se tem a certeza de vê-la, pois não há como controlar a intensidade das radiações solares nem o céu sem nuvens. Isto é especialmente frustrante para quem mora do outro lado do mundo e precisa viajar quase 24 horas para chegar nos lugares onde o fenômeno pode aparecer. Por isso é recomendado que se fique pelo menos 5 dias para que a chance aumente. Fizemos direitinho a lição de casa, pesquisamos e lemos tudo que apareceu na nossa frente nestes últimos anos, para eliminarmos as variáveis que não dependem da sorte:


Local:
Fomos para Tromso e Abisko, onde existe uma probabilidade alta de se ver o fenômeno. Segundo os finlandeses e os guias brasileiros citados anteriormente, Kilpisjarvi, na Finlândia, também é um bom lugar. Nossas pesquisas foram focadas somente na lapônia escandinava, mas existem muitos outros locais no mundo onde se pode ver a aurora boreal.










Época:
Escolhemos Março, o mais próximo que conseguimos do equinócio de primavera no hemisfério norte. Os equinócios são as épocas do ano mais propícias, e o de primavera é o menos chuvoso (portanto céu mais claro), além das temperaturas serem mais amenas. E olha que mesmo assim estava um frio danado...

A aurora pode ser vista na região entre Setembro e Março. Entre Abril e Agosto, o sol nunca se põe (Sol da Meia Noite), então não fica escuro o suficiente para se ver a luzes.



Existem dois tipos de passeio:

A Caçada, onde o ônibus ou van sai rodando pelos lugares onde há uma previsão de céu aberto até a aurora aparecer.

A Experiência, onde o ônibus leva a um lugar fixo, com estrutura para se ficar quentinho numa tenda, comer alguma coisa e ouvir histórias sobre os costumes da região. Quando (e se) a aurora aparecer, as pessoas saem da tenda para ver o espetáculo.

Só fizemos passeios do tipo caçada, pois as chances de ver a “Grande Dama” são maiores. Também escolhemos ir de van, pois o número de passageiros é menor e a atenção e ajuda na regulagem da máquina fotográfica é melhor. Parece bobo mas mesmo a Nati, que manja bastante de fotografia, disse que a regulagem para conseguir fotografar auroras é super específica.

Para Tromso, a maioria das reservas fizemos pelo site da Visit Tromso. Existe um rank com a taxa de sucesso de cada empresa em ver a aurora. O pagamento é feito com cartão no ato da reserva. Relatos dizem que dá para escolher pessoalmente lá, mas algumas das melhores empresas já não tinham mais lugar cinco meses antes. No dia que fomos ao escritório de turismo só para conhecer, a fila estava enorme. Teria sido uma grande perda de tempo.

Usamos as seguintes empresas, todas muito bem avaliadas no Trip Advisor e com grau de sucesso na caçada a aurora acima de 80%:

Artic Explorer, a segunda melhor cotada no Trip Advisor, só tinha lugar em uma das nossas noites. O equipamento que forneceram, a exclusividade da atenção por ter poucas pessoas no grupo e a sorte de termos visto a mais incrível aurora da viagem, foram os pontos altos. Eles não têm cabana de apoio, então o “jantar” foi ao redor de uma fogueira, sentados em esteiras na neve, com direito a assar mashmelows. O frio incomodou bastante. 

M.H.O.E.A.C.T (Mariannes´s HeavenOn Earth Aurora Chaser Tour´s), além de ter alto índice de sucesso, foi recomentada por pessoas que a Cintia (amiga da minha filha que viajou conosco) conhecia e que já haviam feito caçadas. Um comentário no Trip Advisor, elogiando o cuidado deles com uma pessoa que tinha uma perna mecânica, ganhou muitos pontos na minha avaliação. Confirmo integralmente este cuidado. Eles, mesmo sendo do tipo caçadores de aurora, têm uma cabana de apoio com fogueira e coberta, onde foi servido o lanche. 

O Guide Gunnar, o melhor cotado em todos os lugares, já não tinha lugar para as nossas datas.

Em Abisko, usamos a LightsOver Lapand. Fizemos a caçada a aurora puxadas por snowmobile e cobertas com pele de rena. É muito bom pois a aurora é vista por cima de um lago congelado. Tivemos sorte de ver uma das mais belas auroras neste dia, porém o frio incomodou bastante.


Foto de Cintia Cruz
O jantar e a subida na Aurora SkyStation foram reservados no próprio site da estação. Este passeio especial foi a extravagancia da viagem, porém valeu muito a pena. Como em Abisko as temperaturas eram bem mais baixas que em Tromso foi muito bom ter um ponto de apoio aquecido, pois podíamos sair para fotografar a aurora e voltar para o quentinho. Além da subida e descida de teleférico na escuridão total e o maior número de estrelas por metro quadrado que vimos na vida.

Todas as empresas citadas forneceram roupas térmicas que usamos em cima das nossas três camadas habituais e botas impermeáveis. Também fornecem dicas e ajudam na regulagem da máquina fotográfica para poder captar a aurora. Nem pense em deixar a câmera no automático ou em não utilizar um tripé. 


PASSEIOS DIURNOS:

Este foi um ponto em que fomos com muita sede ao pote e ficou bem cansativo, principalmente para mim. As mais jovens tiraram de letra...
Como as caçadas à aurora avançam madrugada adentro (em uma das noites retornamos as 3h30 da manhã) era difícil levantar cedo no dia seguinte para estar pronta entre 9 e 10 horas para os passeios diurnos.

Em Tromso, utilizamos a ArticExplorer tanto para o esqui nórdico nos alpes Lyngen como para o passeio de barco pelos fiordes. Foram ótimos.



Em Abisko, utilizamos a Lightsover Lapland para o snowmobile no parque nacional.  



Havíamos reservado também com eles o passeio de snow shoe, mas tivemos um contratempo: Estávamos no restaurante do local do encontro, nos distraímos com o papo e eles simplesmente não nos chamaram. Perdemos o passeio... 




Para não perder a tarde, as meninas decidiram alugar o equipamento, pegar mapas no Escritório de Turismo da STF e ir sozinhas mesmo. Descobrimos que é super tranquilo fazer isto por conta própria. Tanto que no dia seguinte, antes de pegar a estrada para Tromso, fizemos outra trilha pelo lago de Abisko congelado. 

 

OS HOTÉIS:


Bem localizado, com ótimo café da manhã (só não podia chegar em um horário muito próximo ao encerramento porque a comida que acabava não era mais reposta), recepção atenciosa, bons quartos, com preços razoáveis para os padrões escandinavos. Uma ótima dica do AndarilhosMundo.

Apartamentos com 3 quartos, compartilhando sala, cozinha e banheiro. A recepção não fica aberta durante todo o dia, mas há um telefone para chamar os donos quando necessário. O ponto negativo é o banheiro compartilhado, mas tivemos sorte de só por um dia ter uma moça em outro quarto. No mesmo complexo tem um restaurante com loja de conveniência e também um supermercado, onde fizemos algumas refeições e compramos nosso café da manhã, saboreado na sala do apartamento com vista maravilhosa do Lago Abisko.



Abisko é uma cidadezinha com apenas 150 habitantes fixos e mais três hotéis que tem preços altíssimos e esgotam rapidamente na temporada de aurora boreal.

OS RESTAURANTES:

Em Abisko:

Aurora Pub & Restaurant, a 150 m do nosso hotel, tinha lanches e pratos de comidas regionais, como por exemplo hamburger de carne de rena.

Restaurante do STF AbiskoMountain Station, muito bom, com produtos orgânicos e um excelente pão sueco. Além da vista linda do Parque Nacional de Abisko, onde está localizado.


Aurora Sky Station, onde optamos pelo jantar especial de quatro pratos tradicionais enquanto esperávamos a Aurora Boreal aparecer. 










Em Tromso:

Burger King, nossa refeição mais barata da viagem, mas cara se comparada com o do Brasil.

Kafé Globus, pertinho do nosso hotel, para sopas e lanches rápidos.



Steakers, onde apesar do nome comemos uma caçarola de frutos do mar com legumes muito boa e com uma vista maravilhosa. 









Emma´s Drommekjokken, lindo, aconchegante, com um bacalhau da Noruega delicioso e trilha sonora de MPB das antigas.












Como brinde de despedida, na saída do Emmas´s, ainda ao som de Corcovado (uma das minhas músicas brasileiras preferidas), nossa última aurora dançou linda, intensa, por uns poucos minutos bem em cima da torre da igreja, em pleno centro de Tromso. Ficamos ali, abraçadas, cantando “Quero a vida sempre assim...” O povo olhava pras doidas cantando, para onde estávamos olhando e paravam também para ver o espetáculo.



Última dica: olhar sempre para o céu. Ela, a Aurora Boreal aparece onde a gente menos espera e esta última nem precisou ser caçada. 

Agradeço aqui aos blogs que me ajudaram nas decisões e planejamento:

Viaje na Viagem, do meu guru Riq Freire, sempre meu ponto de partida. Reúne a comunidade de viajantes independentes mais antenada que existe e, que com seus comentários me fizeram ver que era perfeitamente possível programar uma viagem autônoma para lá. 
Andarilhos Mundo, dos queridos Gleber e Sandro, que tive a oportunidade de conhecer pessoalmente no Tchêncontro-2015. Os posts deles tem tudo que se precisa saber sobre ver a aurora boreal na região de Tromso...
Viagem com Gêmeos, me fez colocar Abisko no roteiro, além de dicas sobre como se vestir para enfrentar o frio Ártico.
Aprendiz de Viajante, onde a Heloisa Righetto tem um post ótimo e também uma coletânea de experiências de blogueiros em ver a aurora em outras regiões do mundo.
Dondeando por ai, da Clarissa Donda, que na resposta de um comentário em um post sobre o navio Hurtigruten, que navega regularmente na costa da Noruega, me fez decidir que Março era a melhor época para ir. 
Aurora Boreal, do Caçador de Auroras Marco Brotto, tem fotos profissionais  de babar e reúne um monte informação técnica.
Service Aurora, em inglês, além das previsões, que acompanhei por meses seguidos, tem tudo o mais que se precisa saber sobre o fenômeno.

A quase totalidade das fotos deste post são da minha fotógrafa predileta, minha filha Nati.



Para finalizar, mais dois agradecimentos super especias:

À Cintia, que completou o trio de caçadoras com sua simpatia, bom humor invejável e cuidado comigo. Foi uma companheira de viagem maravilhosa.

E não menos importante, à minha filha Gabi, pela revisão deste texto. Eu estava enferrujada após mais de 3 anos de ausência por aqui. 


30 comentários:

  1. Minha amiga querida, Flora Viu Degaspare que maravilhoso post. Completo,fotos ótimas, texto leve e sincero e com agradecimentos especiais,acho isso muito legal pois nós ao organizarmos nossas viagens lemos os blogs dos amigos,então temos que fazer referência a eles. Que bom que vc voltou !!!! Quero a vida sempre assim, com você junto de .....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lilian querida, obrigado. A idéia inicial do blog sempre foi de trocar informações. Uma maneira de agradecer, pois uso blogs de viagens em todo o planejamento. Falando nisso, sua dica da Lis Bleu em Tiradentes foi ótima. Adoramos. Meu problema, desde o começo sempre foi a constância. Tenho um monte de coisa escrita...

      Excluir
  2. Respostas
    1. Ô querida, você sempre por aqui me incentivando e divulgando meus parcos posts, desde aquele primeiro da Turquia. Muiiiito obrigada.

      Excluir
  3. Amei o post! Legal o blog voltar a vida e muuuuito obrigado pelas indicações. Pena a gente não ter tido tempo para trocar mais figurinhas quando nos vimos pessoalmente, né? Mas no próximo encontro de blogs a gente se vê de novo, né? Beijão e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu é que tenho que agradecer, menino. Li e reli seus posts um montão de vezes. Foi o empurrão que faltava para irmos desempacotadas e foi ótimo. Que venha o próximo Tchêncontro... Vou, assim como você, mas bem mais atrasada, publicar o post que já está até escrito para incentivar as gurias a programarem o próximo, né Paula? Abs para você e para o Sandro

      Excluir
  4. Uau, Flora! Sen-sa-cio-nal! Além de ser uma delícia de ler, o post tem todas as informações e links necessários para uma viagem perfeita. Viajei na viagem de vocês, você passou toda muita emoção. Grande retorno á blogagem ❤. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Virginia pela visita e lindas palavras. Realmente esta viagem me emocionou.Quanto a retornar a blogagem só o tempo derá. Bjs

      Excluir
  5. Respostas
    1. Obrigada Helô, pela visita e pelas dicas do seu blog.

      Excluir
  6. Oi Flora, que demais o seu post!

    Fico feliz que tenha te inspirado pelo menos um pouquinho, mas fiquei triste em saber que a empresa do Daniel não de a atenção necessária pra vc.

    Bom, pelo menos isso rendeu um post que já está no meu favoritos pra eu começar seriamente a planejar uma caçada a aurora boreal.

    Até mais!
    Jonathan Padua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Jonathan pela visita. Esta viagem realmente foi demais. Vale a pena.

      Excluir
  7. Florinha, amei lhe ver blogando, novamente. O que dizer desse post? Encantador, cheio de belas imagens e de informações muito preciosas, para quem deseja se aventurar. Querida, que esse mundinho das letras lhe contamine de forma definitiva. Amei. BjO!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paula, obrigada pelas palavras. Você é mestra nelas. Quem sabe desta vez é pra valer,né? E o próximo Tche apareça por aqui, junto com o primeiro. Bjs

      Excluir
  8. Estupidamente completo! Supersensacional, Flora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Riq. É uma honra muito grande receber a visita do meu guru e ter este post no #linkodromo da Viaje na Viaje. Você é referência para quem ama viajar. Abs

      Excluir
  9. Flora, Parabéns pelo excelente post, um ótimo roteiro para quem deseja presenciar a aurora boreal, obrigado por compartilhar conosco tais informações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Pedro. É um prazer compartilhar informações. É uma retribuição ao muito que recebo da blogosfera.

      Excluir
  10. Flora, adorei seu post! Lindo e ótimo relato com fotos maravilhosas! Uma big aventura com sua filha e amiga. Parabéns !!!

    ResponderExcluir
  11. Obrigada pela visita, Malu querida. Aquele seu post sobre Oise já está separadinho para a próxima viagem. Abs

    ResponderExcluir
  12. Oi Flora, parabéns pelo postar. Adorei.
    Sabe dizer quanto gastaram com refeições por dia?
    Obrigada.
    Marcela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcela, tudo na Escandinávia é muito caro. Estou viajando, sem os valores aqui comigo. Quando voltar, após 19/09 dou uma procurada nos guardados e te passo. Obrigada pela visita

      Excluir
  13. Boa noite, parabéns pelo relato. Estou planejando ir em março de 2017, e vi que vocês foram nesse mesmo mês. Mas gostaria de saber em qual período de março vocês foram (início, meio ou fim). Pergunto pois minha disponibilidade é só no final de março, e tenho receio de, por estar próximo de abril, às chances de ver a aurora já não sejam tão boas... Agradeço desde já!

    ResponderExcluir
  14. Olá JhonDias, que legal que vai ver a aurora. Fomos no começo de Março. O que fez a gente decidir pelo início foi a lua nova. Todas as empresas de caça a aurora trabalham até o final de Março. Boa sorte com as auroras...

    ResponderExcluir
  15. Voce disse enferrujada? Imagina brilhando então.. Adorei o post e embarco para Noruega dia 19/11 ficaremos em Oslo de 21 a 25 e em Tromso de 25 a 30. Estou ansiosa.. voce acha que tenho que reservar a caçada já? Tem perigo de não conseguir vagas(2) .Fiz reserva no hotel Clarion Hotel The Edge, mas vou pesquisar o seu, rs. Quanto tempo até Abisko?

    ResponderExcluir
  16. Valeria, obrigada pela visita. Quanto a reservar passeios, em Tromso tem bastante agências. As melhores lotam mais cedo, mas sempre tem lugar nas que vão com ônibus. Já em Abisko tem poucas agências e tudo lota rápido.
    Leva umas 5 hs de Tromso a Abisko.Depende muito de quanto você parar para fotografar.
    O Clarion deve ser bem melhor que o que eu fiquei, além de ficar na beirada do fiorde. Boa sorte com as caçadas de aurora...

    ResponderExcluir
  17. Oi Flora, só hoje acabei vendo seu blog e postagem. Muito completo e elucidativo por sinal. Estou aqui não para fazer marketing próprio, pois acredito que os resultados do meu trabalho in loco, são bem completos, tendo resultados muito bons e feitos da melhor forma possível. Faço mea culpa aqui em relação a sua crítica, que realmente não foi a única, em relação ao feedback quando me procurou. A Geotrip é uma empresa muito pequena, ainda, especializada só na aurora, e talvez pela procura gigantesca que temos tido de uns anos para cá, o feedback e a pronta resposta a contento realmente falhou em alguns momentos e com mais de uma pessoa. Sabemos que em um serviço como esse o consumidor e interessado deve ter as soluções e respostas em 12 h, no máximo 24 h, sob pena de estar pecando. Infelizmente até ajustarmos nosso pessoal e conseguir ter mais ajuda, por algum tempo não conseguia responder todos ose mais a contento, como deveria e como de fato ocorreu em seu caso. Quero deixar claro que minha falha foi por falta de uma maior estrutura para as dezenas de emails diários que recebo e que, hoje, estamos conseguindo com uma equipe maior responder na forma planejada e ideal. Ler sua critica aqui, embora fosse algo que já tinha ciência, nos faz querer melhorar ainda mais no diálogo com nossos interessados. Por outro lado, temos muito orgulho de termos iniciado esse trabalho quando pouca gente sabia o que era a aurora no Brasil, quase 10 anos atrás, e termos tido sucesso levando centenas de pessoas em cerca de 8 grupos todo ano. A aurora é mais, muito mais do que um trabalho para nós, é a paixão da minha vida! Talvez por isso, mesmo começando do nada, aprendendo com erros como o que cometi no seu caso, é que estamos tentando lapidar para ficar melhor a cada dia e temos conseguido ver a aurora em todos os nossos grupos até hoje. Ir ao Artigo sozinha, como foi, é plausível e mais barato sem duvida, mas nao devemos descartar que com um grupo de brasileiros, com especialistas em fotografia e agora em filmagem da aurora, com festas e socialização diária, acaba sendo algo mais personalizado e diferente do que contatar um guia local. A diferença mesmo é só essa. Quanto a entrevista da Galileu, considero mais um equivoco na comunicação que tivemos com o jornalista, ou certa dose de sensacionalismo deles, o que é comum. Fazemos nosso trabalho de forma pioneira por aqui, nunca copiando ou seguindo trilha de ninguém, o que é mais árduo, mas que por outro lado nos orgulha. Nosso sentimento quanto a concorrência é apenas no que tange a ética que sentimos ter faltado mas que de fato não foi nada tão sensacional como o postado na matéria...Sabedores que no fundo ter alguém que tenta nos copiar so nos engrandece e empurra pra cima, como acho que pode ter acontecido. Obrigado por pontuar nossa falha, que já tem algum tempo estamos focados em solucionar, até por ser a parte mais simples e fácil nesse trabalho louco e dificil de se realizar. Parabéns pelo post e que tenha muitas novas auroras e viagens em sua vida. Um abraço Daniel

    ResponderExcluir
  18. Daniel, Obrigada pela visita, elogios e desejos de novas viagens. Conhecer novos lugares nesse mundão afora é a minha paixão.
    Fico feliz que minhas críticas ajudaram a melhorar seu serviço ao cliente. Muito sucesso para você. Abs

    ResponderExcluir
  19. Olá Flora, muito interessante sua matéria! Tem ótimas dicas! Gostaria de saber qual gasto aproximado que vocês tiveram... Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita, Emílio.
      Sabe que não compilei todas as despesas...
      Mas se prepare, pois Noruega e Suécia são países caros.
      Abs

      Excluir